Durante a gravidez, o corpo da mulher sofre adaptações fisiológicas pela ação hormonal e pelo crescimento do útero e das mamas. Essas adaptações são necessárias para a evolução da gravidez e para o parto, porém, geram uma menor estabilidade das articulações, bem como alterações posturais que podem causar desconfortos e dores principalmente na região lombar e pélvica.

Essas dores, muitas vezes, causam limitações nas atividades da vida diária da mulher grávida e ainda podem persistir após o parto, quando surge a sobrecarga das atividades relacionada aos cuidados com o bebê.

A Fisioterapia na Gravidez tem como objetivo prevenir ou melhorar possíveis desconfortos por meio de:

– Exercícios de fortalecimento e alongamento de músculos específicos,

– Exercícios de percepção corporal,

– Exercícios de relaxamento e de respiração,

– Correção de posturas inadequadas nas atividades de vida diária.

Esses exercícios também auxiliam no alívio de queixas comuns como câimbras, inchaço e falta de ar, além de ajudar na preparação para o parto.

A avaliação fisioterapêutica e os exercícios podem ser realizados desde o início da gestação ou quando seu médico liberar, e seguidos até o final da gravidez. Os exercícios são orientados de forma personalizada, de acordo com as demandas de cada mulher e com a evolução da gravidez. O ideal é que as mulheres façam os exercícios mesmo na ausência de dores, como forma de prevenção e bem-estar.

Além disso, também é importante uma avaliação dos músculos do assoalho pélvico, independente de o parto ser normal ou cesárea.